23

Visão de um Pai: Parto Normal ou Cesárea?

127 Flares Facebook 126 Twitter 0 Google+ 1 LinkedIn 0 Pin It Share 0 127 Flares ×

“Visão de um Pai: Parto Normal ou Cesária”

 

Durante toda a gestação da minha primeira filha fiz questão de acompanhar minha mulher em todas as consultas, em todos os exames. Fui um daqueles pais dedicados, baixei aplicativos, li livros, assisti documentários, fui atrás de informações e ate mesmo procurei reuniões de “pais de primeira viagem” para ajudar da maneira que eu podia.

 

Logo no início, após algumas semanas de gestação, já tínhamos decidido que o melhor para nossa filha seria o parto normal. Para nós esta não foi uma escolha dos pais, nós apenas deixaríamos a escolha justamente por conta da nossa filha, afinal não achamos correto decidir a hora em que ela ia vir ao mundo… o tempo é dela… só se nasce uma vez na vida…

 

Que fique claro que se fosse necessário, para o bem dela e também da minha mulher, estaríamos aberto a ”aceitar” uma eventual cesárea, porém apenas se realmente necessário.

 

Por que muitos se espantaram com a nossa decisão? Por que nos acharam malucos e que me diziam que minha esposa era muito corajosa? Isto ela é mesmo, mas não por escolher o tipo de parto… isto pra nós foi, assim como o próprio nome diz, NORMAL.

 

Em busca deste nosso querer, encurralados por um sistema de cesárias onde o plano de saúde e os horários dos hospitais e médicos falam muito mais alto do que a vontade dos pais, procuramos alguns obstetras para nos auxiliar nesta jornada única em nossas vidas.

 

Conseguimos um médico (por indicação de uma grande amiga pediatra que confio muito) que nos recebeu super bem e tudo indicava que estaríamos em boas mãos. Por 38 semanas nos sentimos mega seguros.

 

Assim que completamos 39 semanas fizemos o exame da Vitalidade Fetal para ver como estava a nossa pequena. Tanto neste exame quanto em TODOS os Ultra Sons e consultas ao longo destes 9 meses SEMPRE esteve tudo ótimo com minha mulher e com nossa filha.

 

Eis que as mascaras foram caindo…

 

Com o exame feito ligamos para o nosso medico para sabermos quais seriam os próximos passos  e eis que fomos surpreendidos com a seguinte frase: “Já agendei o parto para o próximo dia 9. Estejam lá na Maternidade Renomada da Paulista as 9 horas em jejum que o parto será as 12:30!”

 

Oi? Como assim? Porque você quer decidir a data e a hora da minha filha vir ao mundo? Esta escolha não deveria ser dela? Nem completamos 40 semanas… não podemos esperar pelo menos 41 semanas? Não dá pra esperar um pouco mais?

 

Nosso mundo caiu… minha mulher se desesperou… nosso parto seguro já não era tão seguro assim… resolvi então ligar para o medico e ver se não tínhamos outra possibilidade, se não podíamos esperar até pelo menos 41 semanas (em minhas pesquisa descobri que pode-se esperar ate 42 semanas, e que isso é considerado normal em outros países)… mas aí a conversa foi AMEAÇADORA.

 

EU: Doutor, o senhor sabe que sempre falamos em ter um parto normal… se for para agendarmos uma cesárea não tem como ser pra semana seguinte? Assim tentamos dar mais tempo para a nossa filha!

 

DOUTOR: Arriscado… você tem todo o direito, mas eu acho muito arriscado… o bebê vai estar em sofrimento fetal… eu não irei me responsabilizar…

 

EU: Mas Doutor?!?! Uma semana a mais pode ser justamente o que a minha filha precisa…

 

DOUTOR: mas eu só tenho agenda para dia 9! Se vocês não querem eu vou desmarcar mas o risco vai ser de vocês!

 

Foi aí que minha ficha caiu… ele sempre quis fazer cesárea… é muito mais prático e mais fácil pra ele… até por não ter cobrado nenhum extra para realizar o parto… o convênio médico já “garante” o quarto, o médico apenas vai na hora marcada, na hora que pode ir, “resolve” logo o problema e volta pra sua rotina, suas outras consultas ou dá tempo dele realizar outro parto agendado pra uma hora depois…

 

Nos demos conta que não importa o que queremos, não importa o seu sonho, o sistema te manipula para fazer do jeito mais prático pra eles… a sua vontade não vale nada.

 

Mesmo em cima da hora resolvemos arriscar… afinal é o nosso sonho, o nosso mundo, a nossa vontade. As protagonistas deste filme são minha mulher e principalmente minha filha… o medico é um mero coadjuvante. Como minha mulher é da área médica (fisioterapeuta de uma UTI Cardiológica de um renomado hospital), fomos ao hospital que ela trabalha para conversarmos com algum plantonista e definirmos o que iríamos fazer.

 

Chegando lá passamos com o obstetra de plantão. Tivemos uma conversa bem franca com ele, que nos atendeu como a um colega de longa data que estava apenas trocando informações. Após esta longa conversa ele nos indicou que tivéssemos nossa filha em um hospital/ maternidade e não apenas numa maternidade… para evitar qualquer risco ou empecilho… e que tivéssemos com os plantonistas. Ele também é plantonista em outro hospital/ maternidade que fica em Santo Amaro – Itaim e nos indicou que fizéssemos lá. Inclusive nos passou 2 pedidos de exames para o dia seguinte a para 3 dias depois, para acompanharmos a evolução neste final de gestação já neste hospital que ele nos indicou. Ainda por cima disse que se quiséssemos poderíamos ir no seu próximo plantão que seria daqui 4 dias e ele nos ajudaria a induzir o parto se tivéssemos interesse.

 

Ficamos um pouco mais calmos, mas ainda apreensivos… não tínhamos nem visitado esta maternidade… mas acima de tudo acreditamos que tudo iria dar certo. Fomos pra casa descansar e no dia seguinte iriamos ao hospital para fazer o acompanhamento e conhecer a maternidade.

 

Mas uma vez os planos mudaram… nesta mesma madrugada minha mulher começou a ter contrações que foram ficando cada vez menos espaçadas e mais fortes… as 5 da manhã ela me acordou e decidimos ir ao hospital. Fomos sem presa, ainda deu tempo de tomarmos um belo banho e comer um café da manha antes de sair. Apesar das incertezas estávamos muito tranquilos de que Deus estava no comando.

 

Chegando no hospital verificaram que minha esposa já estava com 6 cm de dilatação… tinha chegado a tão esperada hora… dei a entrada na internação  e corri para me trocar e ficar ao lado da minha mulher para ajudar no que fosse possível.

 

Te falo que já conhecia bem a minha mulher mas não imaginava a força e a coragem dela… nestas horas que a mulher põe pra fora a leoa que tem no seu inconsciente… ela me conquistou novamente e nem sabia disso… que mulher… que companheira… que MÃE!

 

A nossa melhor decisão foi fazer o parto com os plantonistas… afinal eles não estão nem um pouco preocupados se vai durar 6 horas ou mais de um dia para o parto acontecer… estão “apenas” exercendo a vocação deles, a dádiva de ser médico/ enfermeiro e poder ajudar os outros, ainda mais tratando-se de um momento tão sublime quanto um nascimento.

 

O primeiro médico que nos atendeu, Dr. F. H., nos passou uma calma absurda de que tudo iria dar certo. Estávamos muito seguros com ele… mas como segurança pra nos é questão de momento claro que o plantão mudou… ficamos novamente um pouco apreensivos… estava indo tudo tão bem, mas será que justamente na hora “H” iria aparecer um outro “cesarista” querendo influenciar no nascimento de nossa filha? Afinal nesta altura não podíamos mais correr riscos e podíamos ser influenciados com o terrorismo emocional que já tínhamos vivenciado antes…

 

Mas essa nossa preocupação logo passou. Comentei depois com minha mulher que não foi uma obstetra que entrou naquela troca de plantão… foi na verdade um verdadeiro ANJO, Dra. A. L. L. G.. Nossa pequena já estava encaixada e só faltava descer um pouco mais. A minha mulher já estava 100% dilatada e eis que a Dra. A. sugeriu que ela sentasse numa banqueta para que a lei da gravidade entrasse em ação.

 

Fiquei sentado num sofá abraçando minha mulher por trás e a obstetra sentava no chão! As contrações continuavam a todo vapor… nos três estávamos juntos, fazendo força e ajudando nossa pequena a nascer. Após uns 15/ 20 minutos nesta posição os cabelinhos começaram a apontar.

 

Decidimos então voltar para a cama… nossa princesa já estava coroada e para o “empurrão” final, ou em caso de precisar fazer algum cortinho para ajudar na saída dela, ficaria mais fácil e mais seguro.

 

Acabou que nem precisou… em questão de segundos virei oficialmente PAI… ver o nascimento da minha filha, estar ao lado da minha mulher durante todo o trabalho (não é a toa que possui este nome!), foi simplesmente a coisa mais linda da minha vida… uma emoção que transborda o coração da gente.

 

Logo ao nascer tive o privilégio de cortar o cordão umbilical e em seguida colocaram nossa Fada Belinha sobre o peito da minha mulher e ficamos lá, os 3, por quase 2 horas, abraçados, chorando, rindo e acima de tudo agradecendo!

 

Uma amiga nossa um dia nos disse para não nos preocuparmos por que as pessoas não são abençoadas pela metade… e foi exatamente assim que nos sentimos: ABENÇOADOS!

 

Para você que esta nesta reta final de gestação, próximo a participar desta empreitada final, deixo aqui o meu sincero incentivo: ACREDITE em vocês! CONFIE que tudo vai dar certo! Não deixe ninguém tornar o sonho de vocês em um pesadelo! Batalhe, brigue, siga o seu coração! E mesmo que este SISTEMA tente te corromper seja FORTE! Afinal de contas este é o seu momento… o momento de sua família, um momento que sua mulher idealizou por tanto tempo… e principalmente o momento da sua filha! E pra nós, pais, só nos resta estar lá pra elas…

 

SEJA BEM VINDA AO MUNDO MINHA FILHA ISABELA!!!

Família

Família

 

Um relato de um pai

Por Fernando Turano Cywinski

Gabi

Bacharel em Teatro, Licenciada em Teatro-Educação e Pós-Graduada em Arte Integrativa, encontrei na maternidade as respostas para as minhas inquietações e angustias! A FAMÍLIA vai ser sempre meu maior aprendizado!

23 Comentários

  1. É bem assim, é digo mais, aconteceu comigo! Desde que era adolescente e conversamos entre amigas eu falava q queria ter parto normal. Mas me deparei com o sistema! E não consegui fugir dele infelizmente, não tinha a informação e nem a idéia de ir para um plantonista e o medo de ir para um hospital público nesse nosso Brasil?? Preferi não arriscar e acabei tendo um parto cesariana, não me sinto menos mãe com isso, claro q não! Mas sinto q minha gestação não foi completa. meu parto foi tão rápido e tão automático q me senti mais uma! E ali não era mais uma, era meu momento e da minha família. Mas é tudo tão rápido, e tão sem amor pela profissão, q só faltou o médico me fechar e falar próxima! E é isso msm q acontece o parto normal requer tempo, carinho, paciência e o cesariana não chega lá arrancam sua filha antes do tempo, pq sempre querem fazer antes, e tchau. Mas ainda tenho esperança e isso tudo vai mudar! Adorei o post! O Blog tá demais!!

  2. Orra…como um homem sem filho, já me emocionei, imagina sendo um pai! Parabens!
    Seja felizes, Fada Bela terá uma linda vida!

  3. Que tudo!! Parabéns pela princesa e principalmente por vencerem esse sistema cesarista e lutarem pelo parto dos sonhos. A luta é grande, mas com determinação a gente chegá-la.

  4. Gente, que coisa linda! Nunca vi um relato de parto feito pelo pai… que lindo! Um pai que participa e vê como a mulher é forte nessa hora, muito lindo! E como é importante ambos estarem alinhados sobre o que é melhor para a mãe e o bebê, pois ele também brigou para que deixasse a natureza agir. Não sou mãe nem gestante ainda, mas graças a Deus já temos isso alinhado também, QUE A NATUREZA GUIE! Pra mim isso já diz tudo, isso inclui que se for necessária uma cesárea será feita, mas acima de tudo no tempo que a natureza disser, sem decidir a hora que tem que acontecer! 🙂 parabéns e que Deus mande mais maridos como o Tiago e o Fernando, que participam até do que ninguém quer saber…rs Beijão. (Amando o blog, parabéns amores!)

  5. Nossa que lindo!!! Se continuar nesse ritmo de emoção o blog vai explodir , muito bem feito , tô amando !! Só uma obs : A Manuzinha é a cara do Títio muito igual caracoless !!!!!

  6. Meu Deus que relato lindooo.Parabéns aos papais.Mas um parabéns ao pai,pela força e determinação em querer se informar e ir atrás do que era melhor pra mamãe e bebê.

  7. Lindo relato, impossível não se emocionar (a mamãe de primeira viagem aqui está a verdadeira manteiga derretida na gestação kkkk), eu quero muito um parto normal justamente pelo respeito a vida do(a) meu(minha) filho(a), quero que ele(a) chegue ao mundo da forma mais humana possível e carregue para a vida inteira os conceitos de respeito, liberdade, humanidade. Tenho certeza de que ainda tenho um caminho longo pela frente (estou apenas de 6 semanas) mas vou lutar com unhas e dentes para realizar esse meu sonho e dar ao meu(minha) filho(a) o poder de decidir a hora que ele(a) quer nascer, se ele(a) estiver um pouquinho preguiçoso(a) kkk e for necessária uma cesariana a faremos mas não é uma escolha e sim uma opção.

  8. Tive minha primeira filna com 15 anos….. e logo que minha mãe me levou ao seu obstetra disse que queria Césaria, tinha pavor de sentir dor. Bom na mesma hora ele disse que tudo bem, chegando no final da gestação ele agendou minha cesariana para 42semanas e 5 dias, mas desde as 39 semanas passava com ele a cada 2 dias, eu na época nao sabia mas depois que minha filha nasceu ele contou pa mim e pra toda minha familia que ali estava. A Sabrina “minha filha” nasceu bem rochinha porque ja estava passando da hora ja nao havia mais loquido na baeeiga, mas assumi esse risco para não contrariar a paciente que ja hacia me pedido cesaria, então marquei a cesaria pra hoje assumi os risco pensando que ela entraria em trabalho de parto e minha desculpa seria que nao deu tempo para cesaria, mas infelizmente ao interna-la fizemos todos os exames e realmente não tinha uma contração e nem dilatação tivemos que fazer cesaria mesmo.
    Hoje vejo que ele foi maravilhoso, ele tentou pela minha filha aquilo que eu não quis tentar.

  9. Lindo relato. Parabéns pela bebezinha!! Eu estou boba com essa coisa que vc tem que lutar e insistir para ter um PARTO NORMAL!! Gente o que é isso?? Todos sabem que o parto normal é melhor pro bebê é pra mae tb. Claro que em certas situações o parto Cesário e necessário mas pelo que estou lendo e vendo no Brasil agora é quase a única opção.
    Moro fora do Brasil à alguns anos e ano passado tive a minha primeira bebê. Gente aqui desde a primeira consulta e falando com as obstetras tudo tudo tudo leva você a fazer um parto o mais natural possível.
    Em certos hospitais não fazem nem a peridural.
    Eu tive um parto normal e estou muito feliz com isso.
    Bjuss Gabi e pra sua cunhada Parabéns por terem lutado por um parto assim!

    • pois é… as pessoas ainda estão muito mal informadas em relação a isso aqui no Brasil…
      MAS, de vídeo em vídeo, de post em post, vamos tentar trazer um pouco mais de informação!
      Beijocas e obrigada!!

  10. Que lindo ler esse relato e ainda mais na visão de um PAI, muito emocionante, me encorajou ainda em fazer o parto normal e lutar com forças e dentes para isso acontecer… Deus é muito certo no que faz… Parabéns!

  11. Que linda história, imaginei cada cena, infelizmente não tive o privilégio de ter parto normal, tentei mas não foi possível se foi por causa do sistema ou por causa natural não sei dizer, mas o terrorismo dos médicos quanto a saúde do nossos bebês é fato.
    Meu breve relato:
    Nas minhas duas gravidez a bolsa estorou e assim que cheguei no hospital ja me devam a opção da cesarea, das duas vezes optei por esperar pelo parto normal, mas depois de horas tentando e ouvindo horrores dos medicos sobre a saúde do bebê abri mão do que eu queria e permiti o parto cesarea.
    Das duas vezes foi assim, mas agora eu me pergunto se eu tivesse mais informação, orientação, apoio, teria sido possível? nunca saberei, mas a frustração também nunca me deixará.

    • Oi Daiane! Olha passei por um parto normal e moro no Reino Unidoe aqui a cesária não é uam opção, a não ser em casos de emergencia. Minha bolsa estorou e meu baby só nasceu 36 horas depois, perfeito, não estava em sofrimento, foi monitorado durante todas essas horas! O exagero que existe pela parte dos médicos é gigante! 🙁

  12. Nossa que relato mais lindo!!! eu e meu esposo somos tentantes ha um ano, e desde de que tomamos a decisão de parar o contraceptivo estamos sempre pesquisando sobre tudo, inclusive partos, e cada vez que leio um relato lindo como esse, tenho mais certeza de querer optar pelo parto normal. Parabéns o Blog esta lindoooooo !

  13. Que relato lindo,isso me mostra que estamos no caminho certo estou de 30 semanas e em busca do Vba2c.
    Parabéns a família!

  14. Antes de MAIS nada Parabèns por essa familia linda, Parabèns pela força e determinaçao de lutar pelo melhor para sua filha e sua mulher.
    Fico impresionada como o sistema no brasil esta, como o natural virou extranho. Eu graças a deus vou ter sorte, pois moro na España e aquí según tenho entendido so se fas cesaría más últimas das últimas, tanto è que durante toda a gravidez voce nem ouve a palavra cesaría(coisa que alegra meu coraçao) 🙂

  15. Parabéns pela família linda, que Deus os proteja sempre e que unidos sempre venceremos.Hoje o mundo as vezes nos obriga a tomar decisões que não queremos, por isso temos que lutar pelo o que achamos importante e acreditamos..

  16. Nossa! Fiquei muito emocionada com sua história, ainda não sou mãe mas tenho convicção de que se um dia for , irei lutar até o fim para que tenha um parto normal, pois isso sim é “NORMAL”. Tive a chance de presenciar o quanto minha irmã sofreu com sua cesária e não quero isso pra mim. Já li muito sobre isso e recomendo que assistam o filme ” O Renascimento do Parto” é muito animador. Um beijo grande! Adoro vocês Thiago, Gabi e Manu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *