9

Desabafo: Filho não é patrimônio público!

0 Flares Facebook 0 Twitter 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 0 Flares ×

Sempre aceitei críticas e certas atitudes calada, agora é minha vez de desabafar! Sou uma dessas mulheres que encara a maternidade como a maior tarefa da vida. Não meço esforços para criar a minha filha da melhor forma possível. Não tem cansaço ou preguiça que me impeça de rolar no chão e fazê-la rir, não cedo às vontades e mimos mesmo que ela perca o ar de tanto chorar e não tenho dó de dizer “não” pois sei que isso faz parte da complexa tarefa de educar.

Até aí está tudo ótimo! Amo ser mãe e apesar de ser cansativo, não vejo isso como uma tarefa difícil. O que me tira a paciência não é minha filha, são os adultos! As pessoas acham que criança é um bem público, que todo mundo tem direito de dar pitaco e fazer o que bem entender.

Quando minha filha era novinha, sempre tinha alguém para criticar tudo que eu fazia. Todo mundo falava que eu iria matar minha filha de sede e de fome pois ela só se alimentava de leite materno.  Se estava de roupinha de manguinha, falavam que o bebê tem que ficar à vontade. Quando ela estava com uma roupinha fresquinha, diziam que eu era uma mãe desleixada e que a menina tinha que ficar enrolada na manta. Sem contar com as misturas de chás e outras coisas que as pessoas já chegavam querendo colocar na boca dela sem me consultar. Além disso, ainda existiam aqueles que ficavam tossindo no quartinho, tocando nela toda com a mão suja ou beijando o rostinho dela que ainda não tinha nenhuma resistência contra doenças. Eu me esquivava das situações de forma educada e pensava que aquilo tudo era passageiro, que quando ela crescesse um pouquinho iria passar… Pois é, piorou! rsrs

Algumas pessoa têm um tal de dizer “Nossa, que bobagem sua… Eu fazia isso com meu filho e ele está aí, vivo e forte!”.  Dava vontade de dizer “Que ótimo! Apesar de você ser uma péssima mãe, seu filho sobreviveu!”. Afff! Claro que nunca disse isso, mas que dava vontade… isso dava! rsrsrs
Bem ou mal, as pessoas criaram seus filhos da forma que acharam melhor, agora dê a oportunidade para que as outras pessoas criem os filhos delas da forma que quiserem! Dar um conselho sincero tentando ajudar é uma coisa, mas dizer bobagem só por não ter o que falar é outra bem diferente.

Todos que tem filho sabem que a criança passa pela fase de testar limites. Fazem tudo que não podem para ver até onde conseguem chegar! Nesta fase as pessoas davam o celular para minha filha ficar batendo no chão. Logo depois, colocavam ela no sofá com um tênis imundo! E mais tarde, ainda deixavam ela puxar o cabelo, bater, abrir o armário e tudo mais que não a deixo fazer comigo ou em casa.  E quando eu ia dizer para minha filha que aquilo era errado, sempre diziam “-Deixa a menina, eu não ligo!”. Gente, não importa se seu celular é velho, que seu sofá já está sujo, se você gosta de apanhar ou ter o cabelo puxado… é questão de educação! Se eu deixar ela fazer isto com suas coisas, ela fará com as minhas e com as dos outros! Ela baterá em mim, no pai, na avó dela depois! É dever dos pais educar e dar limites em qualquer lugar, a qualquer hora! Muito bonito né?! A pessoa fica meia hora com minha filha, ensina ela a fazer tudo de errado, me recrimina quando eu a corrijo… e depois?! Depois nós vamos embora da casa da pessoa e eu é que tenho que arcar com as consequências da falta de educação que ela aprendeu!

Quando minha filha começou a comer comidinha foi uma das piores fases. As pessoas não entendem (eu fingem que não entendem) que se minha filha olhar para alguém comendo doce, cheirando cocaína, bebendo gasolina ou brincando com uma faca… ela vai apontar, esticar os bracinhos e querer aquilo também!  Mas não é por isso que devemos dar né?! Não é que eu ache que se minha filha comer isto ou aquilo ela vai morrer, mas existem algumas coisas que não trazem benefícios e prefiro que ela não coma por enquanto. Evito ao máximo dar doces, frituras, gorduras, enlatados, conservantes e tudo mais que for artificial. Aos poucos ela vai passar a comer todos estes alimentos industrializados que quase todos nós comemos (inclusive eu), mas agora ela é só uma criança que merece ter a melhor alimentação possível!

Todo lugar que chego, alguém vem oferecer algo a ela. Eu sempre respondo educadamente dizendo “Não, obrigada. Ela ainda não come/bebe isso”. O que mais me irrita é quando alguém está comendo algo e fica instigando a criança a pedir só para dizer: “Tá vendo, ela quer! Isso é tão gostoso, ela está morrendo de vontade de comer e você não dá! Que maldade!”. E quando já vão colocando o alimento na mãozinha dela dizendo “tive que dar pois ela estava aguando”?! Afff! Por outro lado, existem pessoas que agem de forma diferente (adoro essas pessoas! rsrsrs). Quando ela faz pirraça querendo algo que ela não deve comer, explicam para ela que aquilo é comida de adulto e só oferecem alimentos que sabem que ela pode comer naquele momento.

Sou a única no mundo que acha falta de educação e respeito dar alimentos para os filhos dos outros sem autorização dos pais?! Acho falta de respeito ficarem debochando dizendo que é frescura os pais optarem não dar isto ou aquilo para os filhos. Acho falta de respeito não respeitar! A escolha do que a criança come, bebe, veste, faz ou deixa de fazer é só dos pais (ou de quem cuida da criança) juntamente com o pediatra e de mais ninguém!

Ju_Poli2CONSELHO É UMA COISA, IMPOSIÇÃO É OUTRA:
Eu achava lindo quando minha avó vinha toda prestativa passando a receita de chazinho para cólica. Sei que aquilo é um ato de carinho, que ela só queria ajudar. Acho atencioso quando está ventando e alguém me traz um paninho para cobrir minha filha. Acho carinhoso quando correm para cozinha para preparar uma comidinha para ela quando está com fome.

Uma coisa é dar um conselho, perguntar se quero um paninho para cobri-la, dizer que quer preparar uma comidinha para ela e me perguntar o que ela pode comer… outra coisa bem diferente é tentar se impor! Como já disse, tem até gente que me critica quando corrijo minha filha! Quando alguém dá doce para ela assim que viro as costas… dá vontade de pular no pescoço da criatura! rsrsrs Sei alguns desses comportamentos são sem maldade, só uma tentativa de querer ajudar. As pessoas que se preocupam com minha filha e a tratam bem, sempre terão meu amor e respeito. Mas as que fazem isto apenas para importunar, que sabem que estão ultrapassando os limites e insistem em continuar… isso me chateia pois sei que quando minha filha estiver maior, ela conviverá com este mesmo tipo de pessoa que não respeitará as escolhas e vontades dela assim como não respeitam as minhas!

Eu penso da seguinte forma: Se alguém faz um penteado para uma festa e eu acho que ficaria melhor de outra forma, eu tenho o direito de meter a mão e ir desmanchando tudo?! Se você diz que não quer comer algo, eu posso ir enfiando o alimento na sua boca?! Se você passou horas arrumando uma estante, gostaria que eu fosse lá e destruísse tudo?!

É assim que eu me sinto, desrespeitada. Construo dia a dia a educação e os hábitos da minha filha e muitas vezes alguém chega querendo interferir em tudo!

Se os pais estão fazendo algo que comprometa a saúde física ou mental da criança, neste caso é sensato que conversem, aconselhem e até procurem ajuda adequada para a família. Mas como no meu caso, que os outros se acham no direito de fazer o que quiserem com minha filha (sabendo que é contra minha vontade) só por pensarem que se fosse a filha deles agiriam de outra forma… ahhhh! Isso me tira do sério! rsrsrs

RESPEITE: Até certa idade os filhos são a continuação dos pais, são totalmente dependentes deles e de suas escolhas. Não tem fórmula certa para criar os filhos. Existem os pais que dão de tudo para o filho comer desde novinho, os que não gostam que vejam muita TV, os que deixam o filho com os outros sem se importar, os que não deixam ele dar um passo sozinho, os que não impõe limite algum e os que querem que o filho fale cinco idiomas até os sete anos de idade! Enfim, seja qual for a opção dos pais, você concordando ou não… respeite! Aconselhe, pergunte, sugira mas não tente impor sua opinião. Lembre-se que são os pais que se dedicam em tempo integral para que seus filhos cresçam saudáveis e felizes, você só está ali com a criança por um momento. Filho dos outros não é propriedade pública e muito menos sua propriedade!

E você, qual sua opinião sobre isso?

Poliana Taitai

Bacharel em Direito, publicitária, festeira e empresária! Depois de anos dividindo meu tempo entre o Direito e a publicidade, quando me tornei mãe decidi encarar um novo desafio: criar minha filha entre papéis coloridos e fitas de cetim! Hoje sou a responsável pela Taitai Convites e Lembrancinhas, um antigo sonho meu que agora realiza o sonho de muitas mamães!

9 Comentários

  1. Poli, parabéns, parabéns, parabéns!!!
    Assino embaixo de cada palavra, compartilho integralmente seu sentimento de desrespeito. Se somos responsáveis pelos nossos filhos, isso inclui as decisões até sua maioridade.
    Perfeito seu texto!!!
    Beijos
    Pam

    • Olá Pam! A maior parte das pessoas nos desrespeitam sem noção que estão fazendo isto, se pensassem um pouquinho não fariam. O triste é ter que conviver com quem faz isso por querer! :-/ Mas isto faz parte da arte de criar filhos né?! rsrsrs Beijos!

    • Nossa, texto perfeito. Achei que só eu era “chata e neurótica” (segundo essas pessoas). Muito bom mesmo. Mas eu aprendi a dizer o não, e muitas vezes secamente, porque tem gente que merece e eu faço questão que se doam e sumam de uma vez.

  2. Amei seu texto é a minha cara e assim que me sinto com relação ao filho inclusive tenho muita vontade de ter outro filho mas por causa de tudo que vc mencionou em seu texto desanimo não teria psicológico para passar por isto novamente e como vc disse tudo que passei om meu filho passaria quantas vezes fosse necessário mas aguentar palpites é simplesmente insuportável, vou guarda este texto como se fosse tesouro de tanto que me identifiquei com ele.

    • Olá Edir! Eu já penso o contrário. Tento aprender a lidar com estas situações agora, no segundo filho espero já saber tirar de letra! rsrsrs Bjo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *