13

Achou que seria fácil?

82 Flares Facebook 82 Twitter 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 82 Flares ×

kel_keep_calmPois é… você foi lá, se preparou para as paradas todas da gestação e parto… eis que nasce o bacuri. Qual era mesmo o capítulo daquele livro super top 10, que mostrava a vida do bebê desde o ventre até os 15 anos de idade, que falava sobre o choro sem fim que começava no fim da tarde e terminava com o nascer do sol do dia seguinte? É… então… não tinha esse capítulo. Alguém esqueceu de citar esse fato tão corriqueiro na vida de algumas famílias. Também esqueceram  de entregar a criança com um manual dizendo quais as tonalidades e texturas de um cocô “saudável”.

A brincadeira nem começou direito e você já viu que de fácil a coisa não tem nada? É colega, “tamu juntu” no caos. Puxa a cadeira e senta porque assunto por aqui não vai faltar.
Nesse cantinho vou falar um pouco sobre minhas experiências como mãe de dois – Lara de 8 e Júlio de 6. Aqui vou dividir os perrengues que já passei, falar sobre as dificuldades de andar na contramão do sistema, da beleza que é gerar e parir um filho e da tralha acumulada no quarto de brinquedos. Tudo junto e misturado. Sobrando tempo rola até dicas culinárias e pitacos sobre o que mandar na lancheira das crias.
No final você vai ver, nem tudo o que faz sentido para mim vai fazer para você. Assim já deixamos combinado: depois de ler, passa a peneira e veja se sobra algo de bom para aplicar na sua vida como mulher-polvo-mãe-esposa-profissional-dona-de-casa. Se sobrar nada, pula para a outra coluna… aqui no tiagoegabi sempre vai ter alguma coisa bacana que pode ser útil para você!!
Fique à vontade para dar sugestões, fazer críticas e deixar seu recado. Esse espaço é seu também!
Bem vinda ao mundo selvagem da maternidade ativa. 🙂

 

Kelly Stein

Ex-advogada que encontrou na fotografia uma paixão e nos filhos uma razão para tentar mudar o mundo.

13 Comentários

  1. Amei! É bem por aí mesmo. Estou me sentindo mais “normal” agora. Bjao

  2. gostei. Sinceridade ante tudo. Estou amando este blog e todos que fazem parte dele, falam/ escrevem a vida como è mesmo. Goste a quem Gostar. Y isso è ótimo porque pra fantasía ja temos as novelas e filmes ne mesmo. Kkk ansiosa para os próximos post kelly stein

    • Gabriela, nada como um pouco de realidade para nos trazer de volta à Terra, né? O mundo “online”, por vezes, pode ser cruel…todos os filhos comem direitinho, todas as mães acordam com o cabelo alinhado e felizes fazem seu almoço – e registrando, devidamente, no instagram e facebook. A pia cheia de louça e a roupa toda vomitada da criança ninguém mostra, né? 😉 Volte sempre! Beijocasss

  3. É uma pena que o mito da maternidade cor de rosa pregado pela sociedade e pelos livros, ainda alimentem a culpa e insegurança de tantas mães. Quisera que todas as mulheres pudessem ter como base o texto de uma mãe real, rsrs. Parabéns!!!

    • Willa, acho que o mais importante na maternidade é construirmos uma rede de apoio. Aquela que sempre existiu quando nossas avós pariram nossas mães. Sempre tinha uma tia, uma vizinha, pronta a ajudar. Hoje vivemos num mundo tão cheio de informação mas tão vazio de contatos pessoais, não é? temos muitos amigos “online” mas ninguém bate à nossa porta para oferecer um abraço depois de uma noite sem dormir com o choro do bebê. Massss, bora lá que ainda virão muitos textos com as minhas “aventuras” maternas. 🙂 Beijossss

  4. Kelly, amei o texto e sua forma descontraída de escrever! Penso em tentar engravidar em breve e esse mundo da maternidade já me fascina muito! Adoro ler tudo a respeito. Embora a prática seja bem diferente da teoria, acho que quanto mais informações absorvemos, mais “preparadas” de certa forma ficamos, né? E adoro textos assim, reais!! rs. Ansiosa para os próximos! Beijos.
    PS.: Gabi, entrei hoje pela primeira vez no blog e já quero ler tudo! =) Tá demais, parabéns.

    • Oi Lidiane!! A vida já é tão pesada de vez em quando né? Bora botar uma pitada de leveza! 🙂 E é isso aí, se informar antes da gravidez já é um grande passo para uma maternidade mais consciente. E sim, a prática é bemmmm diferente da teoria. *rs
      Apareça sempre por aqui para dar uma espiada nas novidades!
      Grande beijo,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *