3

A importância do falar na alfabetização

4 Flares Facebook 4 Twitter 0 Google+ 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 4 Flares ×

Hoje, vou destacar um problema que observei nas escolas onde eu trabalho, e recentemente assistimos uma palestra que falava da importância de produzir bem as palavras, principalmente na alfabetização que é o período mais “complicado” para a criança.

Esse período de aprendizagem, a criança começa a se expressar através da fala e da escrita, e esses estão diretamente ligados, sendo que a criança precisa ouvir o som da palavra para reproduzi-la.

Para Vigotsky, o desenvolvimento da linguagem acontece entre o meio e a criança, quando a mesma começa a perceber o mundo não somente através dos olhos, mas também através da fala.

A criança, mesmo antes da idade escolar começa a desenvolver a fala, e o estímulo da família nesse período é imprescindível, onde começa a emitir os sons. E isso irá refletir diretamente no aprendizado.

Mas, a criança terá um período para se adaptar a fala, e isso é normal. O problema começa quando ela vai para o ensino fundamental, e com 6 ou 7 anos, ela continua apresentando problemas na fala, porque automaticamente isso reflete na forma dela escrever.

Há uns dois anos atrás, eu tive um aluno que chegou na 5ª série (6º ano), e continuava apresentando os mesmos problemas na fala e principalmente na escrita, de quando entrou na 1ª série. Por eu tê-lo acompanhado esse tempo, como professora de Arte, pude perceber que não tinha evoluído.

O atual professor de Português dizia ser notória a dificuldade na escrita por causa da fala, então depois de falar com a coordenação que dizia já ter entrado em contato com a mãe ao longo desse período, esta disse que colocou um pequeno período na fonoaudióloga (mas não continuou o tratamento, alegando falta de tempo pra levar o filho), e este aluno além disso faltava excessivamente.

Resolvi tentar ajudá-lo por um pouco de experiência que tinha, por já ter feito alguns tratamentos de voz, e minha atual fonoaudióloga, também me orientou.

Comecei a dar mais atenção a esse aluno, dei alguns exercícios para fazer em casa, percebi um interesse dele e até uma pequena melhora. Mas, eu não podia dar atenção a um aluno e esquecer dos demais da sala, até porque tenho duas aulas semanais.

Então, infelizmente esse aluno por ser faltoso, já nem conseguia desenvolver as atividades e acabou reprovando por faltas. E o problema de escrita continuou.

Agora, volto a questionar…Qual é o papel da FAMÍLIA nesse caso?

Entendo que exista muitas famílias que às vezes não percebe alguma dificuldade da criança, mas nessa questão cabe a escola orientar. E num trabalho conjunto, tentar ajudá-la.

Eu percebo que em alguns casos, a escola tenta fazer o seu papel, nesse especificamente, posso dizer que tentei fazer além do meu ofício, mas sem a ajuda da família, eu senti que foi um esforço praticamente em vão.

 

 

 

Geise Guedes

Olá pessoal! Eu sou a Geise, atriz, bailarina e professora de Arte do ensino público estadual e municipal de São Paulo. Acabei procurando uma estabilidade financeira e entrei na educação pública, no começo foi muito difícil, mas encarei o desafio e a grande responsabilidade de educar. Hoje, tenho muito prazer em poder passar um pouco do meu conhecimento para os alunos. Sou formada em teatro, pedagogia e atualmente cursando uma pós em ludoterapia. Além das aulas de arte também dou aulas de ballet clássico e dança na prefeitura, onde abrange as crianças da Vila Nhocuné. Sempre acreditei no poder transformador da arte-educação, trabalhei com projetos sociais em ongs e tenho certeza que com afetividade, há mudança na educação. Abraços à todos! E que possamos aprender sempre...

3 Comentários

  1. ***Corrigindo os erros*** (apaguem o comentario anterior…)
    Amo todos os blogs Gabi! Só assunto que me interesso bastante! MATERNIDADE! EDUCAÇÃO INFANTIL!
    Interajo demais com a minha filha, desde recém nascida, converso o tempo todo ee sempre falei td que iamos fazer. Hoje com 2 aninhos, ela fala cada vez mais, está um “papagaio”!!! Com 1 ano e 10 meses, ela já contava até 10 e sabia todas as cores. Ela ainda não vai para escolinha, pois estou desempregada. Todos falam que ela é muito esperta. Também super concordo que os país tem que estar presente em td e são os maiores influenciadores em qq desenvolvimento na vida do seu filho. Escola e país devem ser parceiros e trabalharem juntos em td!!! Sou daquelas mães q literalmente viram criança, me jogo, sento no chão, converso muito, olho no olho e agachada, ouço, brinco, como junto, pego no colo, abraço, beijo….enfim….o q mais existe em casa, é AMOR!!!!!! Amo vcs tbm!!!kkk…bjs

  2. Para Vigotsky, “o desenvolvimento da linguagem acontece entre o meio e a criança, quando a mesma começa a perceber o mundo não somente através dos olhos, mas também através da fala.”
    Em qual livro ta escrito isso? Em ano foi publicado? Qual a referência?

    • Olá Fabiana, tudo bem?
      Então, acabei não colocando a referência, está no livro do Vigotsky: A formação social da Mente, 2007.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *